1994 – Goleada impiedosa e excursão fatídica

Com a chegada da Parmalat em 1992, o Palmeiras voltou a ser protagonista no futebol brasileiro, acabou com um jejum de 16 anos sem títulos ao levantar três canecos em 1993 e, na temporada seguinte, reapareceu na Libertadores 15 anos depois da sua última participação. De cara, o Verdão suou para se classificar em seu dificílimo grupo, composto também por Cruzeiro e os argentinos Boca Juniors e Vélez Sarsfield (que viria a ser campeão).

Foi nesta batalha em busca da classificação para os mata-matas que o Palmeiras registrou um feito histórico: jogando contra o Boca Juniors no estádio Palestra Italia, a equipe goleou o rival por nada menos do que 6 a 1. Foi a maior derrota do Boca fora da Argentina em toda a sua história. E para muitos torcedores palmeirenses, aquele foi o jogo mais marcante do Verdão na Libertadores até a final de 1999 contra o Deportivo Cali (COL).

Em decorrência da Copa do Mundo, a Libertadores foi paralisada temporariamente em julho. A diretoria do Verdão, então, decidiu levar o elenco para excursionar na Europa e na Ásia. Desde o começo, o treinador Wanderley Luxemburgo foi contra o giro, pois, segundo ele, a viagem e os jogos fora do país poderiam comprometer o condicionamento físico do elenco ao retomar as competições oficiais. E foi exatamente o que aconteceu. Desgastado com a excursão, o Palmeiras, que já havia empatado sem gols com o São Paulo antes da paralisação do campeonato, foi eliminado pelo rival, então bicampeão da Libertadores, no jogo de volta.

Compartilhe Agora!

Você pode gostar...

COMENTÁRIOS [FIQUE TRANQUILO, SEU E-MAIL NÃO SERÁ PUBLICADO]